Whey na Gestação

O consumo de suplementos de whey protein durante a gestação é uma questão que suscita dúvidas e preocupações entre as futuras mães. Whey protein é uma proteína de alta qualidade derivada do soro do leite, frequentemente utilizada por atletas e entusiastas da musculação para auxiliar no desenvolvimento muscular e na recuperação após o exercício. No entanto, a gestação é um período especial da vida de uma mulher, e a atenção à nutrição é fundamental.

A proteína é um nutriente essencial durante a gravidez, pois desempenha um papel importante no desenvolvimento do feto e no suporte ao aumento da massa muscular e do volume sanguíneo da mãe. O whey protein é uma fonte de proteína de alta qualidade, rica em aminoácidos essenciais, que são necessários para o crescimento e desenvolvimento do feto, bem como para manter a saúde da mãe.

Além disso, o whey protein apresentou resultados promissores na glicemia pós-prandial em avaliações dos efeitos a curto prazo da suplementação pré-prandial de whey protein em indivíduos com controle glicêmico alterado ou com DM2 leve ou bem controlado. Os aminoácidos essenciais, que são liberados após a digestão da proteína do soro de leite, têm um efeito insulinotrópico ao promover a secreção de insulina pelas células B pancreáticas, reduzindo assim a glicemia pós-prandial. Um estudo avaliou 117 indivíduos com DM2 suplementados com whey protein isolado (w5 g) ou caseína (placebo 5 g) antes do café da manhã. Após 3 meses, o grupo whey protein obteve uma melhora significativa na glicemia plasmática em jejum em comparação com o placebo, sugerindo assim que um baixo dose de whey protein pode ajudar a controlar o nível de glicose no sangue em jejum, melhorando marcadores inflamatórios e estresse oxidativo que afeta diretamente o desenvolvimento de diabetes.

Assim, o consumo de whey protein durante a gestação é uma opção interessante para auxiliar a gestante a atingir sua necessidade proteica, além de contribuir para o controle glicêmico para gestantes com diabetes. É importante lembrar que antes de iniciar qualquer suplementação, é fundamental que a gestante um nutricionista para avaliar as necessidades individuais de proteína e fornecer orientações específicas com base na saúde da mãe e nas necessidades do feto. O consumo de whey protein ainda pode trazer benefícios adicionais para os seguintes casos: 

Gestantes que fizeram cirurgia bariátrica

Devido a redução do volume gástrico podem ter dificuldade para consumir a quantidade adequada de proteínas.

Gestantes de gemelar

Com 20 semanas o consumo de proteínas aumenta significativamente, afinal são 2 bebês requisitando as proteínas da mãe.

Gestantes vegetarianas:

Costumam ter dificuldades para consumir a quantidade de proteínas recomendada.

Gestantes de bebê com Restrição de Crescimento Intra-Uterino (RCIU)

A baixa ingestão de proteínas pode levar a: secreção prejudicada de histotrófico, desenvolvimento embrionário prejudicado, sinalização celular prejudicada na mãe e no feto, crescimento e desenvolvimento placentário reduzidos, fornecimento reduzido de nutrientes da mãe para o feto, estresse oxidativo, absorção e transporte prejudicados de múltiplos nutrientes. A partir disso, uma consequência é a restrição de crescimento intra-uterino. Assim, garantir um aporte adequado de proteínas para a mãe e para o bebê é essencial, e o uso de whey protein pode auxiliar nisso, contribuindo para aumentar o percentil do bebê.

Gestantes no último trimestre

Nessa fase final o bebê aumenta o seu peso com maior velocidade (tende a triplicar), logo o consumo de proteínas deve ser aumentado para que tudo isso aconteça mantendo a saúde da mãe e do bebê.

Além disso, é importante que a mãe mantenha também uma ingestão adequada de proteínas através da alimentação, consumindo alimentos como carnes magras, peixes, ovos, laticínios e leguminosas, *de modo que o whey protein funcionaria como um complemento para as necessidades proteicas.*

Estar atento na escolha do suplemento whey protein também é essencial, a gestante deve escolher produtos de alta qualidade e verificar os rótulos quanto a ingredientes adicionais, como adoçantes artificiais ou aditivos que podem ser prejudiciais. Adoçantes como sacarina, ciclamato, acessulfame K e aspartame devem ser evitados. 

Em resumo, o consumo de whey protein durante a gestação pode ser considerado, desde que seja feito com moderação e sob a supervisão de um profissional de saúde. A melhor abordagem é obter a maior parte das proteínas da dieta regular, com suplementação apenas quando estritamente necessário. A saúde da mãe e do bebê deve ser a principal preocupação, e as decisões nutricionais devem ser tomadas com base em orientações médicas adequadas.

Compartilhe:

Veja Também:

Como os Primeiros 1000 Dias Impactam uma Vida

Descubra como os primeiros 1000 dias de vida, desde a concepção até os primeiros anos da infância, desempenham um papel…

Whey na Gestação

O consumo de whey protein durante a gestação é um tema que gera dúvidas e preocupações entre as futuras mamães.…

Creatina na gestação

A creatina é uma substância natural presente no corpo humano e em diversos alimentos, como carnes magras, peixes, ovos e…

Estratégias Alimentares para Redução da Náusea

É normal durante a gestação que a mulher enfrente alguns sintomas, principalmente no primeiro trimestre da gestação. O sintoma mais…
Fale conosco!